DO DESAPEGO

Aviso: comece já seu desapego
Mais um apelo neste mundo de apelos,
verdade.
Não ligue para isso, aproveite
enquanto há viço e deleite,
vida, dádiva.
É bem difícil abrir mão assim
dizer não ao sim constante
e ser cortante e suave.
Abra mão, então, deixe.
Zelo e cautela são carícias e aconchego,
proteção não é segurança
e enquanto a mão ávida
agarra todo bem,
o pé desapegado dança
sobre a terra nua.
Terra que é minha,
terra que é tua,
de ontem, hoje e além
terra de todos nós
e ninguém.
Desapego sem esforço,
sem ego.
Entrega
como na expiração.
Suspiro
de aceitação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s